Os blogs estão em tudo

Quem disse que os blogs estão mortos? Que nada! Estão mais vivos que nunca. Os blogs são a porta de entrada para a web 2.0. Estou falando grego? A web 2.0 é o resultado de todo esse fenômeno comunicativo provocado pela interatividade na Internet. É uma filosofia (a filosofia 2.0), um comportamento e uma maneira de entender, promover e sentir a comunicação.

Mais que esses conceitos tecnológicos que dizem que a web 2.0 já está morta (que mania de matar tudo aquilo que funciona super bem) – porque teoricamente a web 3.0 está vigente desde 2o1o, o importante mesmo é observar como a evolução da interatividade através desses canais de comunicação hiperconectados e onipresentes “invadem” todas as nossas esferas. Nem precisa ir muito longe: Tomando novos rumos é um exemplo de blog pessoal.

Não vou entrar em categorias nem tipologias de blogs, porque este não é o objeto do post de hoje. Estava lendo o jornal El Mundo do dia 15 de janeiro (sim, vou deixando os impressos para mais tarde) e encontrei uma matéria bacana sobre os professores universitários com blogs famosos. José Luis Orihuela, Sonia Blanco, Enrique Dans, gente grande da Comunicação na Espanha e no mundo, estão ajudando a construir o novo palco onde devem atuar os professores 2.0 nessa nova era.

Os professores já não são o que eram. Faz tempo que eu descobri que os alunos sabem mais que a gente, principalmente se as matérias que damos estão associadas às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Não todos tem o mesmo nível de conhecimento sobre as plataformas que utilizamos na sala de aula, mas falar com eles sobre Facebook e Twitter é como falar de arroz com feijão.

Ser professor no século XXI é descobrir o tanto que a gente ainda tem que aprender. Isso é maravilhoso! Finalmente podemos dizer que estamos recuperando nas aulas o modelo filosófico clássico do acesso ao conhecimento. Não é de cima para baixo, porque o professor não sabe tudo e nem sempre tem razão. O conhecimento é compartilhado. Esta é a verdadeira filosofia 2.0.

Não encontrei o artigo no El Mundo.es, mas o Enrique Dans nos proporcionou um PDF para que todos possamos ler e divulgar essa informação. Vale à pena baixá-lo.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s