Prêmios Goya: a noite do cinema espanhol

premio_goyaUm dos sintomas mais claros de que já começamos a ser parte da cultura de um país (e que essa cultura já é parte da nossa identidade) é quando os famosos desse país estrangeiro que nos acolhe começam a ser velhos conhecidos. Principalmente quando não somos especialistas em cinema, por exemplo, como é o meu caso, e de repente a noite dos prêmios Goya começa a estar cheia de carinhas conhecidas. Será porque vimos uma minissérie com esse ator ou porque no ano passado entrevistaram esse outro num programa da Televisión Española… Isso quer dizer que a miscelânea cultural é definitiva.

Domingo, 9 de fevereiro de 2014, em plena noite fria e úmida de inverno, o diretor, roteirista e ator David Trueba rebeu três estátuas do pintor espanhol Goya pela obra cinematográfica Vivir es fácil con los ojos cerrados: melhor script original, melhor diretor e melhor filme. A “película” conta a história do professor Juan Carrión, que, nos anos 60, utilizava as canções dos Beatles como material didático em suas aulas de inglês. O problema é que Carrión não sabia se todos os versos que ele copiava de ouvido estavam escritos corretamente. Quando soube que John Lennon estava em Almería, no sul da Espanha, gravando um filme, pensou que essa seria a grande oportunidade de corrigir todas as letras e, claro, conhecer o seu ídolo.

Essa suave e emocionante história é tão real que John Lennon revisou todos os papéis que o professor lhe entregou e, desde então, os discos começaram a vir com as letras das músicas. Uma inocente aventura que acabou permitindo que milhões de pessoas no mundo inteiro tivessem acesso às letras das suas canções favoritas. Vivir es fácil con los ojos cerrados recebeu seis Goyas e propagou otimismo e simplicidade numa cerimônia cheia de críticas ao governo, ao aumento dos impostos e às mudanças na lei do aborto.

Sentir-se parte dessa cultura (antes) estrangeira é, sem dúvida, um caminho sem volta que nos permite dizer que somos de dois países e, ao mesmo tempo, de nenhum deles. Nos permite dizer que somos cidadãos do mundo, porque, finalmente, superamos nossas próprias fronteiras.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s