Portugal concederá cidadania a descendentes de judeus sefarditas

O governo português aprovou esta semana as mudanças na lei de 2013 que permitirá que os descendentes dos judeus sefarditas obtenham a cidadania portuguesa. A aplicação desta lei poderá ser efetiva a partir de março de 2015. Com esta nova legislação, Portugal concederá a nacionalidade a todos aqueles que demonstrem com provas objetivas (nomes, linguagem, ascendência, etc.) a sua descendência dos judeus sefarditas expulsos do território português cinco séculos atrás.

No processo de concessão da cidadania, não será relevante a religião do peticionário. Como em qualquer outro trâmite de obtenção de nacionalidade, a normativa portuguesa exigirá que o candidato apresente uma certidão de antecedentes criminais.

Em relação à determinação inequívoca da ascendência sefardita, existem alguns fatores a considerar que farão com que este processo seja bastante complicado:

  • Os judeus viveram quinze séculos na Península Ibérica antes de serem expulsos, o que significa que culturalmente quase não se diferenciavam dos seus vizinhos cristãos.
  • Já passaram quinhentos anos desde que foram expulsos.
  • No momento da expulsão, havia em Portugal um número significativo de judeus procedentes da Espanha, país de onde também haviam sido expulsos, e que tinham sobrenomes espanhóis.
  • Grande parte dos judeus se batizaram para não serem expulsos e acabaram ficando em Portugal.
  • Durante os séculos seguintes, muitos desses judeus convertidos emigraram paulatinamente às colônias portuguesas (principalmente ao Brasil).
  • Tanto os judeus portugueses quanto os espanhóis usavam, já no século XV, os mesmos sobrenomes que os cristãos (velhos e novos). Os poucos que não o fizeram e optaram por ser batizados, abandonaram definitivamente os sobrenomes hebraicos.
  • Os nomes de origem bíblica foram frequentemente utilizados pelos cristãos tanto na Europa, quanto na América Latina durante os séculos XIX e XX.
  • Um grande número de judeus expulsos de Portugal se mudou para o Brasil, onde já havia imigrantes judeus que chegaram antes mesmo da expulsão.

Portanto, em toda a América Latina, especialmente no Brasil, qualquer pessoa com sobrenomes portugueses ou espanhóis –ou com estes sobrenomes na própria linhagem familiar– poderia ser descendente dos judeus sefarditas. Da mesma forma, qualquer pessoa que tenha algum antepassado com nome de origem bíblica também poderia ser dessa descendência.

Em suma, se você está interessado em obter a nacionalidade portuguesa (e, com ela, ser cidadão da União Europeia), não fique com a dúvida e dê entrada no processo quando o prazo estiver aberto. Devido à dificuldade que a administração portuguesa encontrará quando tiver que determinar de forma inequívoca a origem sefardita de qualquer pessoa com ascendência portuguesa ou espanhola (o que é quase impossível dadas as circunstâncias e o tempo decorrido), poderia acontecer que, no fim das contas, a cidadania seja concedida massivamente.

Anuncios

Portugal otorgará la ciudadanía a los descendientes de los judíos sefardíes

El gobierno portugués ha aprobado esta semana los cambios en la ley de 2013 que permitirá a los descendientes de los judíos sefardíes obtener la ciudadanía portuguesa.

Se estima que esta ley se podrá empezar a aplicar a partir de marzo de 2015. En virtud de esta nueva legislación, Portugal concederá la nacionalidad a quienes puedan demostrar mediante pruebas objetivas (nombres, lenguaje, ascendencia, etc.) su descendencia de los judíos sefardíes expulsados de territorio portugués hace cinco siglos.

En el proceso no será relevante la religión que profese el solicitante y, como en cualquier otro supuesto de otorgamiento de nacionalidad, la normativa portuguesa exigirá que el solicitante no tenga antecedentes penales.

Respecto a la determinación inequívoca de la ascendencia sefardí, hay algunos factores a tener en cuenta que dificultarán mucho el proceso:

  • Los judíos llevaban viviendo en la península ibérica quince siglos (culturalmente no tenían apenas diferencias con sus vecinos cristianos).
  • Han pasado quinientos años desde la expulsión.
  • En el momento de la expulsión había en Portugal un gran número de judíos procedentes de España (de donde también habían sido expulsados) y que tenían apellidos españoles.
  • La mayoría de los judíos se bautizaron para no ser expulsados y se quedaron en Portugal.
  • Durante los siguientes siglos, muchos de estos judíos conversos emigraron paulatinamente a las colonias portuguesas (sobre todo a Brasil).
  • Tanto los judíos portugueses como los españoles utilizaban ya en el siglo XV los mismos apellidos que los cristianos (viejos o nuevos). Los pocos que aún no lo hacían y optaron por el bautismo, abandonaron definitivamente los apellidos hebraicos.
  • Los nombres de origen bíblico se han utilizado frecuentemente por cristianos tanto en Europa como en Iberoamérica durante los siglos XIX y XX.
  • Un gran número de los judíos expulsados de Portugal fueron a Brasil, adonde ya habían emigrado judíos portugueses antes de la expulsión.

Por lo tanto, en toda Iberoamérica, pero sobre todo en Brasil, cualquier persona que porte o tenga en su linaje apellidos portugueses o españoles podría ser descendiente de judíos sefardíes. Lo mismo ocurriría con aquellas personas que tengan antepasados con nombres de origen bíblico.

En definitiva, si tienes interés en obtener la nacionalidad portuguesa (y por extensión la ciudadanía de la Unión Europea), no te quedes con la duda y solicítala cuando esté abierto el plazo. Ante la dificultad que va a tener la administración portuguesa para determinar inequívocamente el origen sefardí de cualquier persona de origen portugués o español que lo solicite (casi imposible dadas las circunstancias y el tiempo transcurrido), podría ocurrir que finalmente se otorgue de forma masiva la ciudadanía.

Universidades portuguesas (privadas)

bandera-de-portugal

 

Ya hemos publicado aquí en el blog un listado de todas las universidades públicas de Portugal. Si quieres conocer las universidades privadas portuguesas para tener más opciones antes de tomar una decisión, echa un vistazo al siguiente listado:

Universidade Católica Portuguesa (UCP)

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT)

Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões  (UAL)

Universidade Europeia

Universidade Atlântica

Universidade Lusíada

Instituto Superior de Gestão (ISG)

Instituto de Arte, Design e Empresa — Universitário (IADE)

Escola Superior de Actividades Imobiliárias (ESAI)

Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa (ESTAL)

ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida

Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM-The Marketing School)

Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração (ISCIA)

Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos (IPA)

Instituto Superior de Tecnologias Avançadas de Lisboa (ISTEC)

Instituto Superior de Gestão Bancária (ISGB)

Instituto Superior Politécnico do Oeste (ISPO)

Universidade Lusófona do Porto (ULP)

Universidade Fernando Pessoa (UFP)

Universidade Portucalense Infante D. Henrique (UPT)

Instituto Superior da Maia (ISMAI)

CESPU- Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário

Instituto Superior de Línguas e Administração de Vila Nova de Gaia (ISLA)

Instituto Superior de Educação e Trabalho (ISET)

Instituto Superior de Serviço Social do Porto (ISSSP)

Escola Superior Artística do Porto  (ESAP)

Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa

Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis

Escola Superior de Enfermagem de Santa Maria

Escola Superior de Artes e Design (ESAD)

Academia Nacional Superior de Orquestra

Instituto Piaget

Escola Superior de Educação de Torres Novas (ESETN)

Escola Superior de Enfermagem de S. José de Cluny

Instituto Superior de Entre Douro e Vouga (ISVOUGA)

Instituto Superior de Comunicação Empresarial (ISCEM)

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo (ISCET)

Instituto Superior de Administração e Línguas (ISAL)

Escola Superior Gallaecia (ESG)

Instituto Superior de Saúde do Alto Ave (ISAVE)

Instituto Superior de Ciências da Administração (ISCAD)

Instituto Superior de Administração e Gestão (ISAG)

Instituto Superior de Novas Profissões (INP)

Instituto de Estudios Superiores de Fafe (IESF)

Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti

Escola Superior de Enfermagem S. Francisco das Misericórdias

Instituto Superior Bissaya Barreto (ISBB)

Instituto Superior Miguel Torga (ISMT)

Escola Universitária Vasco da Gama (EUVG)

Escola Universitária das Artes de Coimbra (EUAC)

Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich

Escola Superior de Saúde do Alcoitão (ESSA)

Instituto Superior de Espinho (ISESP)

Instituto Superior de Línguas e Administração de Leiria (ISLA)

Instituto Superior de Ciências Educativas (ISCE)

Instituto Superior de Educação e Ciências (ISEC)

Conservatório Superior de Música de Gaia

Instituto Superior Politécnico Gaya (ISPGAYA)

Instituto Superior de Gestão e Administração de Santarém (ISLA)

Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz

Instituto Superior D. Dinis (ISDOM)

Instituto Superior de Paços de Brandão (ISPAB)

Escola Superior de Artes Decorativas (ESAD)

Escola Superior de Educação de João de Deus (ESEJD)

Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes (ISMAT)

Instituto Superior D. Afonso III (INUAF)

Escola Superior de Educação de Almeida Garrett (ESEAG)

Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão Machado (ESEDJTMM)

Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches (ERISA)

Universidades portuguesas (particulares)

bandera-de-portugal

Publicamos aqui no blog uma lista de todas as universidades públicas de Portugal. Mas se você quer saber también quais são as universidades particulares para ter mais opções antes de tomar uma decisão, não deixe de ver esta lista:

Universidade Católica Portuguesa (UCP)

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT)

Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões  (UAL)

Universidade Europeia

Universidade Atlântica

Universidade Lusíada

Instituto Superior de Gestão (ISG)

Instituto de Arte, Design e Empresa — Universitário (IADE)

Escola Superior de Actividades Imobiliárias (ESAI)

Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa (ESTAL)

ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida

Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM-The Marketing School)

Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração (ISCIA)

Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos (IPA)

Instituto Superior de Tecnologias Avançadas de Lisboa (ISTEC)

Instituto Superior de Gestão Bancária (ISGB)

Instituto Superior Politécnico do Oeste (ISPO)

Universidade Lusófona do Porto (ULP)

Universidade Fernando Pessoa (UFP)

Universidade Portucalense Infante D. Henrique (UPT)

Instituto Superior da Maia (ISMAI)

CESPU- Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário

Instituto Superior de Línguas e Administração de Vila Nova de Gaia (ISLA)

Instituto Superior de Educação e Trabalho (ISET)

Instituto Superior de Serviço Social do Porto (ISSSP)

Escola Superior Artística do Porto  (ESAP)

Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa

Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis

Escola Superior de Enfermagem de Santa Maria

Escola Superior de Artes e Design (ESAD)

Academia Nacional Superior de Orquestra

Instituto Piaget

Escola Superior de Educação de Torres Novas (ESETN)

Escola Superior de Enfermagem de S. José de Cluny

Instituto Superior de Entre Douro e Vouga (ISVOUGA)

Instituto Superior de Comunicação Empresarial (ISCEM)

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo (ISCET)

Instituto Superior de Administração e Línguas (ISAL)

Escola Superior Gallaecia (ESG)

Instituto Superior de Saúde do Alto Ave (ISAVE)

Instituto Superior de Ciências da Administração (ISCAD)

Instituto Superior de Administração e Gestão (ISAG)

Instituto Superior de Novas Profissões (INP)

Instituto de Estudios Superiores de Fafe (IESF)

Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti

Escola Superior de Enfermagem S. Francisco das Misericórdias

Instituto Superior Bissaya Barreto (ISBB)

Instituto Superior Miguel Torga (ISMT)

Escola Universitária Vasco da Gama (EUVG)

Escola Universitária das Artes de Coimbra (EUAC)

Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich

Escola Superior de Saúde do Alcoitão (ESSA)

Instituto Superior de Espinho (ISESP)

Instituto Superior de Línguas e Administração de Leiria (ISLA)

Instituto Superior de Ciências Educativas (ISCE)

Instituto Superior de Educação e Ciências (ISEC)

Conservatório Superior de Música de Gaia

Instituto Superior Politécnico Gaya (ISPGAYA)

Instituto Superior de Gestão e Administração de Santarém (ISLA)

Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz

Instituto Superior D. Dinis (ISDOM)

Instituto Superior de Paços de Brandão (ISPAB)

Escola Superior de Artes Decorativas (ESAD)

Escola Superior de Educação de João de Deus (ESEJD)

Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes (ISMAT)

Instituto Superior D. Afonso III (INUAF)

Escola Superior de Educação de Almeida Garrett (ESEAG)

Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão Machado (ESEDJTMM)

Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches (ERISA)

Universidades portuguesas (públicas)

bandera-de-portugalSe você está pensando em atravessar o Atlântico para estudar na Europa, Portugal pode ser uma excelente opção. Dá uma olhada nas universidades públicas portuguesas:

Universidade de Lisboa (ULISBOA)

Universidade Nova de Lisboa (UNL)

ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL)

Instituto Politécnico de Lisboa (IPL)

Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (ESEL)

Universidade de Coimbra (UC)

Instituto Politécnico de Coimbra (IPC)

Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC)

Universidade do Porto (UP)

Instituto Politécnico do Porto (IPP)

Escola Superior de Enfermagem do Porto (ESEP)

Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC)

Universidade Aberta (UAb)

Instituto Politécnico de Santarém (IPSantarém)

Universidade de Évora (UEVORA)

Universidade da Beira Interior (UBI)

Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB)

Universidade de Aveiro (UA)

Instituto Politécnico de Leiria (IPL)

Universidade do Algarve (UALg)

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)

Universidade do Minho (UM)

Instituto Politécnico de Bragança (IPB)

Instituto Politécnico de Viseu (IPV)

Instituto Politécnico da Guarda (IPG)

Universidade dos Açores (UAç)

Universidade da Madeira (UMa)

Instituto Politécnico de Portalegre (IPP)

Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE)

Instituto Politécnico de Setúbal (IPS)

Instituto Politécnico de Beja (IPBeja)

Instituto Politécnico de Tomar (IPT)

Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA)

Instituto de Estudos Superiores Militares (IESM)

Academia Militar (AM)

Academia da Força Aérea (AFA)

Escola Naval

Escola do Serviço de Saúde Militar (ESSM)

Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna (ISCPSI)

Universidades de Portugal (públicas)

bandera-de-portugal

 

¿Estás pensando en ir a Portugal a estudiar? Te facilitamos el listado de todas las universidades públicas portuguesas:

Universidade de Lisboa (ULISBOA)

Universidade Nova de Lisboa (UNL)

ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL)

Instituto Politécnico de Lisboa (IPL)

Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (ESEL)

Universidade de Coimbra (UC)

Instituto Politécnico de Coimbra (IPC)

Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC)

Universidade do Porto (UP)

Instituto Politécnico do Porto (IPP)

Escola Superior de Enfermagem do Porto (ESEP)

Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC)

Universidade Aberta (UAb)

Instituto Politécnico de Santarém (IPSantarém)

Universidade de Évora (UEVORA)

Universidade da Beira Interior (UBI)

Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB)

Universidade de Aveiro (UA)

Instituto Politécnico de Leiria (IPL)

Universidade do Algarve (UALg)

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)

Universidade do Minho (UM)

Instituto Politécnico de Bragança (IPB)

Instituto Politécnico de Viseu (IPV)

Instituto Politécnico da Guarda (IPG)

Universidade dos Açores (UAç)

Universidade da Madeira (UMa)

Instituto Politécnico de Portalegre (IPP)

Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE)

Instituto Politécnico de Setúbal (IPS)

Instituto Politécnico de Beja (IPBeja)

Instituto Politécnico de Tomar (IPT)

Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA)

Instituto de Estudos Superiores Militares (IESM)

Academia Militar (AM)

Academia da Força Aérea (AFA)

Escola Naval

Escola do Serviço de Saúde Militar (ESSM)

Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna (ISCPSI)

A calçada da discórdia

Pedra portugesa em solo lisboano

Pedra portugesa em solo lisboano

Bastou dizer que uma das calçadas mais famosas do mundo pode ser substituída por outras mais acessíveis e seguras para acender a chama da polêmica. Se trata da pedra ou calçada portuguesa, aquela tão típica de Portugal e das suas colônias (do Brasil também, claro). A prefeitura de Lisboa quer renovar os passeios da capital trocando as pedrinhas quadradas por outro tipo de pavimento, principalmente nas áreas mais transitadas da cidade. O problema é que aqueles típicos mosaicos que enfeitam o solo português já fazem parte da identidade, do interesse turístico e da cultura desse país.

Para muitos cidadãos, a calçada portuguesa deveria ser considerada patrimônio da humanidade (como o fado). Porém, a lista de problemas provocados pelas pedras cada vez aumenta mais:

  • os sapatos de salto alto são vítimas habituais dos pequenos espaços entre as pedrinhas;
  • em dias de chuva, o solo fica muito escorregadio;
  • nas ruas inclinadas, não é preciso chuva para escorregar, porque a pedra polida é muito traiçoeira;
  • a falta de manutenção provoca imensos buracos na calçada, que podem ser perigosos tanto para os pedestres, quanto para as cadeiras de rodas e os carrinhos de bebê.
Praça do Rossio

Praça do Rossio

A intenção da prefeitura é terminar todas as obras até 2017, mas a intenção de muitos portugueses é conseguir 5.000 firmas para impedir a realização dessas obras. Já conseguiram a metade. Em qualquer caso, se você pretende viajar a Lisboa e quer que a calçada portuguesa apareça nas suas fotos, é melhor já ir fazendo as malas. Pode ser que num futuro próximo, a Praça do Rossio e outros tantos pontos turísticos empedrados pelos conhecidos mosaicos desapareçam do mapa e fiquem só mesmo na nossa memória.